DIY: uma cadeira de escritório nada convencional

Há uns dois meses, essa cadeira surgiu na minha vida de forma inesperada. Apareceu para doação num grupo do Facebook, a única condição era ir buscá-la. Eu estava precisando de uma cadeira de escritório há anos, nunca achava nada que me agradasse completamente – ou era feia, ou era desconfortável, ou era muito cara. Essa era a minha chance para conseguir a minha cadeira. Eu nunca tinha reformado uma cadeira antes, só tinha uma vaga noção de como seria.

cadeira_DIY_antes

Várias pessoas me perguntaram como foi o processo de reforma da cadeira, então aqui vai uma espécie de passo a passo – e no final, algumas dicas para quem quer encarar uma reforma desse tipo mas nunca teve coragem:

Primeiro eu desmontei a cadeira. Foi um processo longo e demorado, com aproximadamente 300 grampos retirados e um parafuso espanado de brinde.

parafusos-e-grampos

Em seguida, pintei as partes pretas de branco. Pensei em usar uma tinta spray, mas como estava usando a minha cozinha como oficina, achei melhor não – vai que eu não consigo limpar a sujeira depois! Usei uma tinta que serve para paredes, metal e madeira, escolhida por causa do acabamento fosco. Aqui, cometi um erro: não usei um preparador para pintar as partes revestidas em plástico (como essa da foto acima, do parafuso espanado). Eu sabia que eles existiam mas como não tinha muita certeza se iria precisar, utilizei o método força bruta para essas partes: lixei com uma lixa grossa até o plástico ficar bem poroso e pintei. Ficou super grosseiro, mas fui acertando com uma lixa fininha e mais demãos de tinta até conseguir um resultado satisfatório.

pintura

A espuma estava em boas condições, então eu só desinfetei. Descosturei a capa e usei como molde para fazer a capa nova. Minha filha que escolheu o tecido!

tecido

quase-pronta

Depois de remontada, eu passei um protetor de tecido para ficar fácil de limpar. O nome é ScotchGard da 3M – no Brasil, está disponível em lojas como a Leroy Merlin, aqui no Reino Unido, eu comprei na Homebase.

E este é o resultado final de uma semana de trabalho e aprendizado. Fiquei super feliz com a minha cadeira (e as gatas também, hahaha).

cadeira_DIY_depois

Dicas pra quem quer fazer uma também!

Algumas coisa que eu aprendi nesse processo:

  • Escolha a cadeira com cuidado. Não foi meu caso, mas eu dei sorte, porque a cadeira era toda desmontável, parafusada e grampeada. Se você for comprar ou usar alguma cadeira que você tenha em casa e use bastante, antes de começar a desmontar, verifique se é possível a desmontagem completa sem estrago. Algumas cadeiras de escritório são seladas de alguma maneira que depois não dá pra refazer manualmente, então só desmonte a sua se tiver certeza que dá pra remontar ou se você não se importar de perder algumas características da cadeira (ou, na pior da hipóteses, a cadeira). Eu não me importei com esse detalhe porque ganhei a cadeira de graça e se não conseguisse desmontar, era só passar pra frente da forma que recebi.
  • Tire muitas fotos do processo. Muitas mesmo. Quanto mais complicada a cadeira, mais fotos! Ajuda muito na hora de remontar.
  • Se a cadeira for ser usada, escolha materiais de qualidade. Vale a pena escolher um tecido para estofados, tecidos não apropriados muito provavelmente se rasgariam muito rápido com o uso diário (que é o caso da minha cadeira).
  • A máquina de costura (e saber usar!) é opcional, você pode simplesmente grampear o tecido para forrar a espuma – até pensei em fazer dessa forma, mas acho que não ficaria tão ajustado e eu ficaria encanada com as dobras. Também não precisa ser profissional da costura se a opção for pela máquina, eu sei o básico do básico e nem máquina eu tinha, comprei especialmente para esse projeto (mas já usei muito depois!).

Curtiram? Quem tiver alguma pergunta, é só deixar um comentário aqui ou passar lá na página do Facebook, que está só começando. 🙂