Concurso Internacional: jumpthegap

concurso internacional jumpthegap

Minha gente, estão abertas até o dia 25 de fevereiro as inscrições para o concurso internacional de design, jumpthegap, promovido pela Roca em parceria com o Centro de Design de Barcelona (BCD). O objetivo do concurso é encontrar conceitos inovadores e sustentáveis para o uso do espaço do banheiro.

O concurso tem duas categorias: jovens* arquitetos e designers e estudantes de arquitetura e design. São aceitas inscrições individuais ou em dupla.

O júri é composto por grandes nomes da arquitetura e do design mundial (incluindo Marcelo Rosenbaum) e serão distribuídos €15000 em prêmios – €6000 para os vencedores de cada categoria, mais €3000 para o vencedor da categoria especial sustentabilidade.

concurso internacional jumpthegap juri

As regras completas podem ser encontradas no site do concurso.

*Pessoas nascidas a partir de 01 de janeiro de 1980. Não sou mais jovem, oficialmente. Que saudade da minha juventude!

{Imagens: jumpthegap}

{Inspiração} Décor nórdica

Gente! Depois de uma semana brava em que rolou de tudo, menos blog, estou de volta! Me coçando desde terça passada para postar sobre esse assunto.

Há algum tempo o estilo escandinavo de decoração está em voga, mas como eu disse aqui, nessa estação ele está em todos os lugares, em todos os catálogos. Na semana passada, nós estivemos na loja de departamentos John Lewis e eu peguei o catálogo outono/inverno da loja – vocês ainda vão ler bastante a respeito por aqui! Logo de cara, o primeiro capítulo, é a respeito do estilo.

John Lewis - capa catálogo

O Scandi, como é conhecido por aqui, é caracterizado pelo mínimo: formas simples, design funcional, paleta de cores neutra com toques sutis de cor. Texturas e inspiração direta do modernismo ajudam a criar o look, ao mesmo tempo despojado e sofisticado.

jl-home-edit-copenhagen

Separei três imagens do catálogo para vocês se inspirarem – confiram!

Catálogo John Lewis 01 Catálogo John Lewis 02 Catálogo John Lewis 03

Quantos ícones do mobiliário modernista dá pra contar nessas fotos? Aqui, eles se mesclam harmoniosamente com móveis e acessórios contemporâneos – alguns claramente inspirados no design dos anos 50-60.

Adoro esse estilo, mas não sei se combina comigo – gosto muito de usar cor! E vocês – curtem ou não?

Curta a página no Facebook

{Imagem: 1.}

Bom dia, segunda!

Bom dia, meu povo! Hoje eu estou terminando um curso e talvez não dê pra postar o que eu estava programando para hoje, mas como já não postei no sábado, queria deixar aqui algo para alegrar esse dia cinzento.

Fiz esse moodboard pro meu estúdio há algum tempo – o Facebook “despublicou”a minha página, mas vou reativar até o final do mês! – e ele reflete bem o clima do dia de hoje por aqui. E aí, como está o dia por aí? Que nós todos tenhamos uma boa semana!

A última de Yorkshire: a hospedagem

Veja bem, se eu tivesse ficado num hotel, ontem provavelmente teria sido o último post sobre essa viagem do final de semana. Por que, fala sério, qual seria a graça de fazer um post sobre quarto de hotel? Pouquíssimos – e certamente nenhum que caiba no meu bolso – hotéis tem alguma coisa arquitetônica ou decorativa que fuja do comum o suficiente para valer uma entrada no blog. Mas, aí é que está, nós não ficamos em um hotel…

 Placa chalé

Nós ficamos em uma…

carroça!

carroça!

Sim, minha gente, uma carroça. E uma carroça tão legal que eu resolvi postar aqui pra vocês verem.

Chalé exterior 01

Porta_chalé

Janela chalé

Chalé detalhes 01

O exterior é feito de chapas de metal corrugado, com esquadrias de madeira. Tem uma mesa na área externa, assim como uma churrasqueira – nas fotos ela aparece coberta por uma capa.

Chalé interior 04

Chalé interior 03

Chalé interior 02

Chalé interior 01

As paredes do interior são revestidas de madeira, assim como o piso. A cabine é equipada com uma geladeira, forno de microondas, chaleira elétrica e uma torradeira muito massa, que faz ovo cozido melhor que eu, além de uma televisão. Tem um forno a lenha, mas também tem um aquecedor elétrico.

A cabine tem capacidade para 3 pessoas e o que eu achei mais incrível foi como um espaço tão pequeno pode ser aproveitado de maneira tão eficiente, que nem parece tão pequeno assim. No site da empresa que fabrica as carroças tem um videozinho com a Ruth, a dona desse lugar, mostrando como ela é por dentro – e sem essa zona que nós deixamos, já que eu deveria ter tirado essas fotos quando chegamos, não quando saímos, rs.

O único porém desse lugar é que não tem banheiro, mas nem é uma coisa tão ruim assim: imagina que tamanho de banheiro seria se tivessem que colocar um aí? A solução que eles deram foi excelente: entre as duas cabines desse tipo que eles tem (eles tem várias outras maiores, estilo chalé), foi construído um chalézinho de madeira que funciona como um bloco de serviços. Lá tem uma cozinha, com máquina de lavar e de secar e dois banheiros, um pra cada cabine – banheiro grande, com chuveiros maravilhosos, totalmente valem a pena os 30 passos que você tem que dar para chegar lá – e uma sala separada, para limpar botas da lama (a parada é no meio do mato, gente!) e empréstimo de galochas para quem esqueceu as suas. Na cozinha também tem uma biblioteca e dvd-teca, uma porção de jogos de tabuleiro e de brincar ao ar livre e uma honesty shop: uma mini loja onde você pega o que quiser, o preço tá na etiqueta, você anota no bloquinho o que levou e deixa o dinheiro numa caixinha.

Nós gostamos muito de tudo e certamente voltaremos – quem sabe no verão, pra aproveitar um churrasquinho no fim do dia? Quem estiver indo pra essas bandas, o website deles está aqui.

Sobre a decoração: a maioria dos itens são da Cath Kidston, as almofadas de flores são da Dunelm.

{Parceiros} plurAU

Bom dia, gente! Quem vem aqui no blog regularmente (oi, mãe!) já deve ter percebido que ali do lado tem uma seção chamada parceiros. Parceiros são divididos em duas categorias: pessoas que acreditam no blog e pessoas em quem o blog acredita. Hoje eu vou apresentar pra vocês um escritório de arquitetura que faz parte da segunda categoria. E acredito não apenas porque são meus irmãos, mas porque o trabalho deles é bom pra caramba. Gosto tanto que nem pedi permissão pra colocar a logo deles aqui no blog – vai que eles falam não? Enfim, esse é o plurAU:

plurAU

Em sentido horário: Audrey Fogaça, Marco Silva, Maria Faria e Thaís Silva

Atuando em Uberlândia desde o ano passado, o grupo plurAU Arquitetura e Urbanismo busca agora expandir seu trabalho na região do Triângulo Mineiro. Os arquitetos Audrey Fogaça, Marco Silva e Maria Faria, e a engenheira civil Thaís Silva, apostam na diversidade como alavanca do processo criativo e buscam se envolver com outros profissionais da área, acreditando que parcerias são sempre bem-vindas quando o objetivo é oferecer aos projetos as melhores soluções.

Nesse sentido, os profissionais têm buscado promover a empresa, viajando pelas cidades da região e entrando em contato com clientes e parceiros. “Nosso trabalho por vezes ainda é visto como algo distante para as pessoas, mas queremos que elas conheçam as várias atribuições do arquiteto e urbanista que vão além do campo das ideias.”, diz Audrey Fogaça. O grupo afirma que grande parte de seu trabalho tem sido voltado à arquitetura residencial e comercial, contemplando desde reformas até acompanhamento de obras, e que ainda é comum surgir clientes que não sabem até que ponto um projeto pode ser desenvolvido. Marco Silva acrescenta: “Na verdade, nossa função não é só dar uma ideia de como se pode usar um determinado espaço. Tudo tem que ser visto em termos de leis locais, normas técnicas, orçamentos, etc. São várias atividades em edificações e instalações, conforto ambiental e relatórios técnicos, que influenciam na qualidade de uma obra.”

Outro grande entusiasmo do grupo é a troca de conhecimento entre os envolvidos. “Nós estamos aptos a trabalhar em vários campos, desde a arquitetura de interiores até o planejamento urbano e regional, podemos participar tanto na elaboração como na supervisão ou execução desses projetos”, segundo Maria Faria. Thaís Silva, a engenheira que complementa o trio de arquitetos, acredita que o exercício colaborativo só tende aprimorar a visão profissional de cada um e, conseqüentemente, o trabalho que é desenvolvido. “Ter um grupo profissional acompanhando qualquer processo de planejamento e construção certamente dá um resultado positivo no final, pois prevemos todas as etapas e com isso prevenimos erros, o que conseqüentemente evita reparos e gastos extras, procurando garantir sempre o melhor em termos de qualidade.”

Aqui estão alguns dos projetos desenvolvidos pelo grupo:

Projeto de mobiliário - maquete eletrônica e execução

Projeto de mobiliário – maquete eletrônica e execução

Este mobiliário foi projetado para um quarto que conjuga a funções de área de trabalho e estudos. Foram idealizadas duas peças, a mesa de trabalho com espaço para desktop e um armário com prateleiras abertas, com divisórias para televisão, equipamentos multimídia adicionais, livros e revistas. O móvel foi executado em madeira modificada (compensado naval) com acabamento em verniz. Foi também instalado um ponto de iluminação direcionada específica para a iluminação da mesa de trabalho.

Projeto de um estúdio

Projeto de estúdio

Estúdio ~ projeto concluído

Estúdio ~ projeto concluído

Estúdio ~ projeto concluído

Estúdio ~ projeto concluído

Projeto de paisagismo ~ antes e depois

Projeto de paisagismo ~ antes e depois

Quintal apenas gramado e com 4 árvores frutíferas, a reforma revitalizou o espaço deixando-o mais aconchegante, assim sendo mais utilizado pela família. A primeira etapa foi a construção do estúdio. Predominantemente em madeira (estrutura, fechamento e cobertura), esse projeto foi idealizado para suprir a necessidade de um espaço de estar e também abrigar uma oficina de trabalhos manuais para um casal com filhos e netos. O programa inclui uma oficina/escritório conjugado com um espaço de estar e um depósito de ferramentas domésticas. Em frente foi executada um paisagismo que assentou seixos de rio e mobiliário de estar, criando um refúgio sob as copas das árvores. O espaço também funciona como área de lazer nos fins de semana, onde é montada uma churrasqueira e colocada mesa para refeições. Agora o quintal é amplamente utilizado pela família, que o incorporou na rotina na casa.

Residência ~ projeto em execução

Residência ~ projeto em execução

Residência ~ integração área social

Residência ~ integração área social

Esta residência de 170m², em execução em Uberlândia, foi projetada a partir das características topográficas do terreno, originalmente estreito e em aclive. Este partido nos permitiu diferenciar as áreas social e íntima através de desníveis possibilitando a preservação da a intimidade dos quartos sem perder a potencialidade das áreas sociais. Tratando-se das necessidades de um jovem casal, que recebe com frequência os amigos, áreas sociais (salas e cozinha) se integram pela área gourmet, que tem na garagem a possibilidade de conversão em salão para mesas em festas.

Essa é uma pequena amostra do trabalho do escritório – para saber mais, é só dar uma passada no website deles, que está sempre sendo atualizado com novos projetos, ou acompanhá-los pelo Facebook.