Bruxelas: roteiro de arquitetura

Roteiro Arquitetura Bruxelas

Bom dia, gente! Continuando a série de posts sobre a nossa viagem, hoje vou falar sobre a tour de arquitetura que eu e a Lily fizemos em Bruxelas. Outro dia postei sobre várias tours de arquitetura pelo mundo, dei uma olhada em algo do estilo, mas no fim acabei decidindo procurar algo auto-guiado, porque, com criança, achei que seria mais fácil para parar quando quisesse – ou mesmo abandonar no meio do percurso, se fosse necessário. Encontrei, então, o roteiro perfeito no site Brussels Life, imprimi direto do website mesmo e lá fomos nós.

Mapa Arquitetura Bruxelas

Nós chegamos de trem direto na estação onde o roteiro começa. A Estação Central (Bruxelles-Central) é um projeto do arquiteto Victor Horta (1861-1947). Horta começou a trabalhar no projeto da estação em 1910, mas a construção não começou até 1937, devido aos atrasos ocasionados pelos processos de desapropriação e pela 1ª Guerra Mundial. Novos atrasos foram causados pela 2ª Guerra Mundial e Horta ainda estava trabalhando no projeto quando faleceu em 1947. A construção continuou conforme o seu projeto e a estação foi inaugurada em outubro de 1952.

Roteiro Arquitetura Bruxelas Estação Central Victor Horta

Roteiro Arquitetura Bruxelas Estação Central Interior 01 Roteiro Arquitetura Bruxelas Estação Central Interior 02

A segunda parada é a Galerie Ravenstein – no lugar está a galeria atualmente havia um palácio renascentista, o Palácio Granvelle, que foi demolido em 1930.

Roteiro Arquitetura Bruxelas Galerie Ravenstein

O local é super movimento, com algumas obras e andaimes nas proximidades e eu tive um pouco de dificuldade de fotografar, então depois dessa foto horrorosa (rs), eu passei as próximas paradas do roteiro (o prédio da Shell e os prédios da Rue Colonies) apenas lendo e apreciando.

Em seguida, chegamos à Catedral des St Michel et Gudule. Construída em estilo gótico francês, a igreja levou cerca de 300 anos para ser concluída – do século XIII ao século XVI.

Roteiro Arquitetura Bruxelas Catedral St Michel e Gudule 01 Roteiro Arquitetura Bruxelas Catedral St Michel e Gudule 02 Roteiro Arquitetura Bruxelas Catedral St Michel e Gudule 03 Roteiro Arquitetura Bruxelas Catedral St Michel e Gudule 04 Roteiro Arquitetura Bruxelas Catedral St Michel e Gudule 05 Roteiro Arquitetura Bruxelas Catedral St Michel e Gudule 06 Roteiro Arquitetura Bruxelas Catedral St Michel e Gudule 07

Normalmente, eu gosto de passar bastante tempo fotografando o interior de igrejas, mas como vocês podem ver já estava escurecendo (era mais ou menos 5 horas da tarde) e eu só tinha esse mapa para me guiar – meu celular morreu com mais de 30% de bateria algumas horas antes -, então estava com medo de me perder. Acendemos uma vela e fizemos uma oração – tradição familiar! 🙂

Roteiro Arquitetura Bruxelas Por do Sol na Catedral St Michel e Gudule

Seguimos então para o Comic Arts Museum, mas só pudemos ver por fora: apesar de site dizer que o museu fecha às 6, tinha uma pessoa na porta negando entrada para quem chegava. O prédio é mais uma das obras do Victor Horta.

Roteiro Arquitetura Bruxelas Comic Arts Center

Em seguida, fomos para a antiga Place St Michel – atualmente se chama Place des Martyrs, porque os mártires da Revolução Belga (1830) foram enterrados ali -, que é uma praça neoclássica do fim do século XVIII. Foi a primeira praça da capital belga a ser projetada de acordo com um plano simétrico característico da antiguidade clássica. O arquiteto responsável pelo desenho foi Claude Fisco em 1774. É um ótimo lugar para descansar as perninhas cansadas de menininhas espoletas, bem calmo comparado com o resto do trajeto.

Roteiro Arquitetura Bruxelas Place St Michel-MartyrsRoteiro Arquitetura Bruxelas Place St Michel-Martyrs 02

No restante do passeio, aproveitamos para comprar chocolate e nos perder um pouquinho, até chegarmos ao destino final do roteiro: Grand-Place.

Olha, gente, o lugar é magnífico e eu acho que valeu muito a pena ter chegado lá a noite – lindo, lindo, lindo. Só vou ficar devendo mais fotos porque, assim que colocamos os pés na praça, encontramos dois dos grandes conhecidos de quem tem filhos pequenos: “mãe, preciso ir no banheiro” e “mãe, estou com fome”. Então fomos achar um banheiro e um lugar para comer, e depois achar o caminho de volta para a estação para voltar para a nossa base.

Roteiro Arquitetura Bruxelas Grand-Place

Estou finalizando um arquivo PDF com o roteiro em português e vou contactar o criador para disponibilizá-lo aqui no blog. Por enquanto, se alguém quiser o arquivo, me manda um email que eu envio!

Imagens: Mapa. Todas as outras imagens foram fotografadas por mim.

As melhores tours de arquitetura do mundo?

Open City Gherkin banner

O jornal The Guardian publicou na semana passada uma lista das 10 melhores tours de arquitetura do mundo – quer dizer, na verdade, eles publicaram 10 das melhores tours de arquitetura do mundo. As dicas são bem legais mas algumas, como a de Londres, por exemplo, não são passeios permanentes e já estão esgotados. Resolvi, então, fazer um apanhado de oito tours interessantes, no Brasil e na Europa, e compartilhar com vocês.

1. Modernismo de Belo Horizonte

Artchitectours BH

Nesse passeio, a empresa Artchitectours leva os participantes para conhecer o conjunto da Pampulha, projetado por Oscar Niemeyer. O passeio dura 4 horas e pode contar com até 20 participantes.

2. Brasília de bicicleta

Camelo Bike Tours Brasília

Já pensou conhecer Brasília de bicicleta, guiado por um arquiteto urbanista (além de guia turístico credenciado pela Embratur)? Então pode começar a pensar, que a Camelo Bike Tours te leva. Com diversos roteiros que duram entre 3 e 5 horas, a empresa é especializada em cicloturismo e em arquitetura – poderia ter combinação melhor?

3. Tour de Arquitetura ~ São Paulo

Edifício Copan SP

O objetivo desse passeio, organizado pela empresa Around SP, é explorar a variedade de estilos arquitetônicos de São Paulo – desde o colonial até o modernismo, tão bem representado na cidade por Lina Bo Bardi, Paulo Mendes da Rocha e Vilanova Artigas. O passeio dura 3 horas e pode ter até 12 participantes.

4. Roteiros geográficos do Rio

Roteiros geográficos do Rio

O geógrafo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello, professor da UERJ, e seus bolsistas te levam pra conhecer o Rio a pé e de graça! Basta olhar a programação e entrar em contato para marcar o seu lugar 🙂

5. Londres com a Open City

Open City Gherkin

Há algumas semanas estava falando sobre a Open House London na nossa página do Facebook – a Open City é a organização por trás desse evento super legal que acontece todos os anos durante um fim de semana de setembro. Durante o resto do ano, eles levam as pessoas pra conhecer a cidade de bicicleta, a pé, de barco, em passeios fotográficos. Esses passeios ajudam a organização a sobreviver e patrocinam outras iniciativas, como o festival Archikids, que incentiva a educação arquitetônica desde pequenininho.

6. Glasgow com a Glasgow School of Art

GSA Glasgow Style Tour

Uma das mais proeminentes escolas de design do Reino Unido, a GSA oferece tours a pé com os temas de arte e arquitetura. O passeio de arquitetura se chama Glasgow Style Tour, dura 2 horas e 15 minutos e custam £19.50 por adultos (descontos para crianças, idosos e estudantes).

7. Paris com o Guiding Architects

guiding architects Paris

Guiding Architects é uma rede de arquitetos, jornalistas e escritores de arquitetura que oferecem visitas guiadas em várias cidades do mundo. A variedade de passeios em Paris é tão grande que ficou difícil escolher alguma coisa para destacar! Vale a pena conferir o website do grupo.

8. Liverpool City Tours

RIBA Liverpool City Tours

O Instituto Real de Arquitetos Britânicos (Royal Institute of British Architects – RIBA) promove passeios arquitetônicos promove várias visitas guiadas na cidade de Liverpool. São quatro passeios regulares, que duram cerca de 2 horas e custam £8.50.

***Bônus***

Tours guiadas pela Carolina aqui que vos fala 😀 Faço Londres, Windsor, Bath, Bristol, Cardiff e aceito sugestões, rs. (É brincadeira mas é sério. Se alguém quiser.)

E vocês, já foram em algumas desses passeios? Ou outro que não está aqui? Foi bom pra você?

As imagens foram gentilmente roubadas dos websites dos promotores dos passeios, exceto a do Copan, que veio da Wikipedia e é de domínio público.

O mapa do metrô de Londres

Boa segunda, gente! Hoje eu vou falar um pouco sobre o mapa do metrô de Londres, um ícone da cidade reconhecido no mundo todo.

mapa atual do metro de Londres

O metrô de Londres abriu sua primeira linha em 1863 e, com a sua expansão, um dos maiores desafios era como representar o sistema em um mapa que fosse fácil de entender nas estações e que coubesse no bolso. Isso porque a malha cobria uma extensão muito grande, o que tornava a representação em escala uma coisa complicada.

Mapa de 1908

Mapa de 1908

Foram dezenas de versões do mapa, que tendiam a se concentrar na parte central da cidade simplesmente pela impraticabilidade de se produzir um mapa em escala com toda a dimensão da rede, que se estendia até pequenas vilas no condado de Buckinghamshire, por exemplo.

Então, em 1931, Harry Beck encontrou a solução: uma representação em diagrama, que deu origem ao mapa como conhecemos hoje. A diretoria não tinha muita certeza se ia funcionar, já que o mapa não apresenta a localização geográfica e a distância entre estações, mas para Beck isso não era importante: o que importava, para o usuário, era como se locomover de uma estação para outra de forma eficiente e onde ele poderia fazer conexões com outras linhas.

Mapa do metrô de Londres Harry Beck 1931

Após uma tiragem-teste de 500 cópias ser distribuída em 1932, 700.000 cópias foram produzidas em 1933 e o sucesso foi imediato. Foi preciso encomendar uma reimpressão apenas um mês depois. Mas, apesar do sucesso, o mapa de Beck ainda tinha problemas – algumas estações mais distantes não estavam representadas. Em 1960, Beck foi substituído na missão de atualizar o mapa. Ele também tentou apresentar versões para o metrô de Paris, que não foram aprovadas. Até sua morte, em 1974, Beck continuou trabalhando em suas próprias versões do mapa, que hoje é um símbolo da cidade de Londres e inspiração para mapas de sistemas de transporte no mundo todo.

Mapa atual do metrô de Londres

mapas dos metros de los angeles paris osaka amsterdam

Em sentido horário, do topo: Los Angeles, Paris, Amsterdam, Osaka

E na semana passada, o mapa de Londres causou um pequeno rebuliço na internet porque a agência de transporte local (TfL) liberou um mapa geograficamente correto das estações de metrô e trem da cidade (o mapa inclui também linhas em construção). Isso aconteceu devido ao um pedido baseado na Lei de Liberdade de Informação, uma lei que permite a qualquer pessoa pedir qualquer informação a um órgão público – entende-se que, se você paga impostos, você tem direito de saber o que está acontecendo. E esse é o mapa:

Mapa geograficamente correto do metrô de Londres - central

Bem útil, é verdade, mas não tão charmoso quanto o original! 🙂

Para ver o mapa geograficamente correto do metrô de Londres em tamanho maior, clique aqui.

Imagens: Metrô de Londres (1908). Metrô de Londres (1931). Metrô de Londres (atual). Metrô de Paris. Metrô de Amsterdam. Metrô de Los Angeles. Metrô de Osaka.