Decorando com crianças

Não, você não leu errado. Não é decorando *para* crianças. É com crianças mesmo.

Minha filha, Lily, vai fazer 5 anos em junho. Ela ainda dorme no quarto que eu decorei antes de ela nascer. Não precisa nem dizer que ele está cansado, né? Não combina mais com ela e há algum tempo venho querendo mudar tudo. Tirar a cama de criança e colocar uma cama de solteiro, pintar as paredes, colocar cortinas (no momento, ela tem uma persiana rolô). Mas a Lily tem um problema: ela não trabalha com desapego. Ela não quer se livrar do barrado de bichinhos de pelúcia, ela não quer tirar os adesivos e entra em pânico só de pensar que eu vou me desfazer da cama “de Octonautas” dela – mesmo eu já tendo explicado mil vezes que a roupa de cama pode ser usada na cama nova, já que é só o edredom e a fronha.

A solução que eu encontrei foi envolvê-la no processo. Um processo que, sozinho, já é complicado: eu quero colocar um quarto de dormir, uma mini biblioteca e um espaço de brincar em um espaço de 1,90m x 2,35m. Impossível? No Brasil, isso provavelmente seria considerado um armário, já aqui é bem comum nas casas normais ter um quarto pequenininho assim. Basta caber uma cama de solteiro que eles já consideram “quarto” – e pouco importa se não cabe mais nada.

O primeiro passo foi pegar o catálogo de cores da Dulux e passar página por página com ela. Ela escolheu as cores preferidas e esse foi o resultado:

Lily's colour map

E ao invés de escolher algumas dessas cores e fazer um esquema legal, resolvi usar o máximo dessas cores que eu conseguir sem que o espaço minúsculo vire um carnaval na zona.

Nas próximas semanas, vou contar as etapas desse processo divertido – ou não – em que eu me meti.

Agenda da semana: 03 a 09 de maio {Brasil}

Toda sexta-feira, vou publicar a agenda de eventos de arquitetura, urbanismo e design rolando no Brasil e no Reino Unido {você pode ver a agenda do Reino Unido aqui}. Se você tem um evento nessas áreas acontecendo e gostaria de incluir no blog, me mande um email.

Lançamentos:

Lançamento do livro Fundamentos de Projeto: Arquitetura e Urbanismo

Dia 06/05 – 18:00 – 21:00

Local: Complexo Brasiliana (Rua da Biblioteca, s/n – Cidade Universitária. São Paulo-SP)

Preço: grátis

Exposições:

1º Prêmio de Arquitetura AkzoNobel

Até dia 11/05

Local: Instituto Tomie Ohtake (Avenida Faria Lima, 201 – Pinheiros – São Paulo – SP)

Preço: grátis

Palestras:

Arq!Palestra com Yuri Vital

Dia 07/05 – 19:30

Local: Museu da Casa Brasileira (Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2.705 – São Paulo)

Preço: R$35,00

Simpósios:

3º Minas Arquiday Show

Dia 07/05

Local: Hotel Mercure (Av do Contorno, 7315 – Lourdes – Belo Horizonte MG)

Preço: grátis {inscrições aqui}

Feiras:

Casa Cor Alagoas

Até dia 11/05

Local: Av. Aristeu de Andrade, 256 – Farol – Maceió – AL

Preço: R$30,00 (inteira), R$15,00 (meia)

Casa Cor Santa Catarina

Até dia 15/06

Local: Em Florianópolis, na Simphonia WOA Beiramar (Av. Beiramar Norte, 3974). Na Praia Brava-Itajaí,  Condomínio Riviera Business Mall (Rod. Osvaldo Reis, 3281)

Preço: R$28,00 (inteira), R$14,00 (meia), R$ 56,00 (passaporte)

Casa Cor Goiás

Começa dia 06/05 e vai até dia 11/06

Local: Rua 34 – Qd. H-17 – Lt: 05 ao 10 – Setor Marista – Goiânia – GO

Preço: R$38,00 (inteira), R$19,00 (meia)

Agenda da semana: 03 a 09 de maio {no Reino Unido}

Toda sexta-feira, vou publicar a agenda de eventos de arquitetura, urbanismo e design rolando no Brasil e no Reino Unido {você pode ver a agenda do Brasil aqui}. Se você tem um evento nessas áreas acontecendo e gostaria de incluir no blog, me mande um email.

Exposições:

Living Laboratory: Richard Pare on Le Corbusier and Konstantin Melnikov

Até dia 11/05

Local: PM Gallery & House (Walpole Park, London W5 5EQ)

Preço: grátis

Designs by Mother Nature – Biomimetic Products

Até dia 24/05

Local: Roca London Gallery (Station Court, Townmead Road, London SW6 2PY)

Preço: grátis

The Brits Who Built the Modern World, 1950–2012

Até dia 27/05

Local: RIBA (66 Portland Place, London W1B 1AD)

Preço: grátis

London’s Growing Up!

Até dia 12/06

Local: NLA (The Building Centre, 26 Store Street, London WC1E 7BT)

Preço: grátis

Carscapes: How the Motor Car Reshaped England

Até dia 06/07

Local: Wellington Arch (Apsley Way, Hyde Park Corner, London W1J 7JZ)

Preço: £4 (adulto), £2.40 (criança 5-15 anos)

Designs of the Year 2014

Até dia 25/08

Local:  Design Museum (Shad Thames, London SE1 2YD)

Preço: £13.88 (adulto), £10.41 (estudante), £7.05 (crianças 6-15 anos) {ingressos aqui}

Feiras:

Grand Designs Live

03 a 11/05

Local: ExCel London (1 Western Gateway, Royal Victoria Dock, London E16 1XL)

Preço: A partir de £12 (crianças menores de 15 anos grátis) {ingressos aqui}

 

Visitas guiadas:

Dogs for Architecture!

Dia 03/05 – 10:00

Local: É uma caminhada guiada pela cidade de Londres. Começa no The Building Centre (26 Store Street, London WC1E 7BT)

Preço: £24.50

London’s Growing Up! Curator-led Tour

Dia 06/05 – 13:00 – 13:45

Local: NLA (The Building Centre, 26 Store Street, London WC1E 7BT)

Preço: grátis {inscreva-se aqui}

DIY: uma cadeira de escritório nada convencional

Há uns dois meses, essa cadeira surgiu na minha vida de forma inesperada. Apareceu para doação num grupo do Facebook, a única condição era ir buscá-la. Eu estava precisando de uma cadeira de escritório há anos, nunca achava nada que me agradasse completamente – ou era feia, ou era desconfortável, ou era muito cara. Essa era a minha chance para conseguir a minha cadeira. Eu nunca tinha reformado uma cadeira antes, só tinha uma vaga noção de como seria.

cadeira_DIY_antes

Várias pessoas me perguntaram como foi o processo de reforma da cadeira, então aqui vai uma espécie de passo a passo – e no final, algumas dicas para quem quer encarar uma reforma desse tipo mas nunca teve coragem:

Primeiro eu desmontei a cadeira. Foi um processo longo e demorado, com aproximadamente 300 grampos retirados e um parafuso espanado de brinde.

parafusos-e-grampos

Em seguida, pintei as partes pretas de branco. Pensei em usar uma tinta spray, mas como estava usando a minha cozinha como oficina, achei melhor não – vai que eu não consigo limpar a sujeira depois! Usei uma tinta que serve para paredes, metal e madeira, escolhida por causa do acabamento fosco. Aqui, cometi um erro: não usei um preparador para pintar as partes revestidas em plástico (como essa da foto acima, do parafuso espanado). Eu sabia que eles existiam mas como não tinha muita certeza se iria precisar, utilizei o método força bruta para essas partes: lixei com uma lixa grossa até o plástico ficar bem poroso e pintei. Ficou super grosseiro, mas fui acertando com uma lixa fininha e mais demãos de tinta até conseguir um resultado satisfatório.

pintura

A espuma estava em boas condições, então eu só desinfetei. Descosturei a capa e usei como molde para fazer a capa nova. Minha filha que escolheu o tecido!

tecido

quase-pronta

Depois de remontada, eu passei um protetor de tecido para ficar fácil de limpar. O nome é ScotchGard da 3M – no Brasil, está disponível em lojas como a Leroy Merlin, aqui no Reino Unido, eu comprei na Homebase.

E este é o resultado final de uma semana de trabalho e aprendizado. Fiquei super feliz com a minha cadeira (e as gatas também, hahaha).

cadeira_DIY_depois

Dicas pra quem quer fazer uma também!

Algumas coisa que eu aprendi nesse processo:

  • Escolha a cadeira com cuidado. Não foi meu caso, mas eu dei sorte, porque a cadeira era toda desmontável, parafusada e grampeada. Se você for comprar ou usar alguma cadeira que você tenha em casa e use bastante, antes de começar a desmontar, verifique se é possível a desmontagem completa sem estrago. Algumas cadeiras de escritório são seladas de alguma maneira que depois não dá pra refazer manualmente, então só desmonte a sua se tiver certeza que dá pra remontar ou se você não se importar de perder algumas características da cadeira (ou, na pior da hipóteses, a cadeira). Eu não me importei com esse detalhe porque ganhei a cadeira de graça e se não conseguisse desmontar, era só passar pra frente da forma que recebi.
  • Tire muitas fotos do processo. Muitas mesmo. Quanto mais complicada a cadeira, mais fotos! Ajuda muito na hora de remontar.
  • Se a cadeira for ser usada, escolha materiais de qualidade. Vale a pena escolher um tecido para estofados, tecidos não apropriados muito provavelmente se rasgariam muito rápido com o uso diário (que é o caso da minha cadeira).
  • A máquina de costura (e saber usar!) é opcional, você pode simplesmente grampear o tecido para forrar a espuma – até pensei em fazer dessa forma, mas acho que não ficaria tão ajustado e eu ficaria encanada com as dobras. Também não precisa ser profissional da costura se a opção for pela máquina, eu sei o básico do básico e nem máquina eu tinha, comprei especialmente para esse projeto (mas já usei muito depois!).

Curtiram? Quem tiver alguma pergunta, é só deixar um comentário aqui ou passar lá na página do Facebook, que está só começando. 🙂